Como andam seus espaços internos?

Menos é mais. Essa expressão é a base do movimento minimalista, tendência que começou nos Estados Unidos na década de 60 e ganhou força nos anos 80, influenciada pela cultura japonesa. Esse movimento reflete sobre o minimalismo e como menos coisas podem impactar muito mais. Mas, o que isso quer dizer na prática?

Existe uma crença limitante de que precisamos estar sempre ocupados. Isso é sinal de pessoa produtiva e bem sucedida. Será? Para muitas pessoas, ter uma agenda atolada não é sinônimo de paz. Pelo contrário. Espaços em branco permitem  pausas. São espaços de respiro e de criação. Esses espaços são internos.

Normalmente, quando não temos espaços internos, tendemos a não ter espaços em várias áreas da nossa vida. E, se preenchemos todos os espaços da nossa vida, não permitimos imprevistos, momentos para reflexão e principalmente, momentos de descanso.

No vídeo abaixo, explicamos melhor sobre esse tema. 

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados